Arquivo da categoria: De mim a ti

“Esta balança está querendo me destruir”

Padrão

Você, às vezes, tem essa impressão?

 

Quando iniciamos uma dieta todo dia corremos para balança. É meio que um condicionamento, pois queremos resultados instantâneos e beeeeeem visíveis.

O (A) leitor (a) do meu blog não pensa assim, não é mesmo? Afinal de contas, o que interessa a nós é a saúde e mudança de hábito. Os resultados serão consequência das escolhas que fazemos.

Isso é sério! Vejo na academia as pessoas saírem do treino e irem para a balança. Dependendo dele, o peso pode ter subido ou descido, mas não significa, necessariamente, que você emagreceu. Pode ter sido perda de líquido (aeróbio) ou músculo contraído (musculação).

Aprendi uma coisa com minha nutricionista, em 2004: “Marcio, sua balança deve ser o espelho”. Calma, pessoas, nada de viver o narcisismo e o estádio de espelho de Freud. Já ouviram falar sobre? Tem curiosidade? Clique aqui.

Autoestima é bom, mas bom senso é essencial, tá?

A partir dessa consulta, esqueci a balança, passei a considerar como me via no espelho e as roupas, até chegar ao nível de exigência: estou bem. Acredito que, no mundo de hoje, mudança de hábito é também um trabalho psicológico. Pois nossa cabecinha às vezes acaba modificando uma realidade e nos levando a obsessão (anorexia, bulimia, vigorexia), o que se torna patológico.

Deve-se compreender que não devemos ficar escravos de uma balança. Não é o que está lá mostrado que vai me fazer me sentir melhor ou não, mas a minha rotina, o meu dia a dia. Por isso, esqueçamos a balança, façamos as escolhas sem pensar em tempo. Abortemos essa brevidade e fugacidade. Você vai emagrecer, vai ganhar massa magra, tudo vai depender do seu empenho, dedicação e satisfação com seu novo estilo de vida. Pode levar dias, meses ou até anos, mas com certeza essa escolha certa nos fará ter muitos anos pela frente.

Jogue sua balança fora, foque no que você ingere, que seja correto, e na prática de exercício. De resto, teu corpo irá sinalizar, no espelho e nas roupas que você tem conseguido alcançar seu objetivo. E, claro, as amigas e amigos que ficarão com a cara na BR ao te vê bem, com a pele maravilhosa, o cabelo bom, o humor lá em cima e otras cositas más também em cima. Afinal de contas, todos nós gostamos de um elogio, fala a verdade?

Até a próxima e que nunca mais nos reste gordura localizada

Anúncios

“Queria fazer academia, mas não tenho dinheiro” – Parte 1

Padrão

Você se sente assim, triste?

Chore, grite, lamente-se e arranque os cabelos.

Pronto, já fez tudo isso? Por que agora você não precisará mais de drama e desculpinhas bobas. Sabe por quê? De fato, em algumas cidades tem sido caro custear as despesas com uma boa academia. No mínimo, por ela, paga-se a bagatela de R$ 150, em média. Caro? Sim, para alguns bolsos.

Que tal utilizarmos uma alternativa meio que “catraca livre”, ou seja, de graça? O ideal para seu corpo progredir, e aí pensemos em emagrecimento, ganho de massa e fins, é o exercício aeróbio (corrida, bike, caminhada) e o anaeróbio (musculação). A academia, em sim, é mais prático, mas se você não pode pagar nós resolveremos esse probleminha agora. A rua é pública e existem muitas formas de se exercitar e ter progressos no seu projeto de mudança de hábito. Sigam-me os bons? Este post será dividido em duas etapas, para não ficar muito longo na demonstração dos exercícios. Então, vamos lá:

1) Comece fazendo o aeróbio (corra, caminhe), mas lembre-se do HIIT, já mencionado aqui no blog. Vá alternando picos de alta intensidade à baixa a cada 1min25s. 30min é o suficiente e você vai fazer seu organismo agir diretamente nas gorduras;

2) Feito o aeróbio, vamos aos abdominais? 3 série de 12 repetições já basta. Comecemos pelo supra. Um dia você fará  1º. supra e infra, outro dia 2ª oblíquo e lombar

3 séries de 12 é o suficiente.

Fique nessa posição por 30s. A prancha trabalha muito o abdômen

Desça até esse ponto.

A lógica do exercício é tentar tocar o cotovelo no joelho.

30s, cada lado. 3x cada. Essa prancha também é sensacional!

Faça 3x de 10 para a lombar. Excelente exercício

3) Após os exercícios acima, vamos trabalhar ao ar livre 1º pernas, 1º ombro, 2º costas, 2º peito, 3º biceps e 3º tríceps? (A cada dia trabalharemos um par de grupo, exemplo: na segunda o 1º, pernas e ombro e, assim, sucessivamente)

1º Pernas

Esse exercício chama-se agachamento. Faça 3 repetições de 10 para cada perna. Para ser rápido, alterne as pernas.

Fique nessa posição de 45s a 60s. Repite o movimento quatro vezes

Abra as pernas e agache, 3 séries de 10.

Essa flexão de coxa é maravilhosa. Repita 10 vezes, em 3 séries. Tanto contraindo para cima como esticando

Abra e feche as pernas em 3 séries de 10

1 º Ombro

Aqui já são dois exercícios, elevar o braço na lateral e na frontal. Faça 3 de 10. Pega aquela garrafinha de água, põe areia ou pedra e manda ver.

Com aquele mesmo pesinho feito de garrafa, faz esse exercício. Também 3 séries de 10

Com aquele pesinho de garrafa, segure cada um em uma mão e eleve só o ombro. Faça 3 de 10

to be continued…

Preciso fazer uma dieta. E agora?

Padrão

Ai, que dúvida. E agora, em qual vou?

Você já contabilizou quantas vezes você adiou sua dieta para a próxima segunda, o início do próximo mês ou início do ano? Bem, não sei se existe alguma estatística que revele qual o percentual de homens e mulheres que pensaram, por um instante, mudar seus hábitos de vida. Porém, na hora H, aquele happy hour, as baladinhas, a comida da mamãe e da vovó, o churrasco com os amigos só nos fizeram pensar: “ahhh, deixa pra próxima semana, né?”.

Não é fácil, reconheço. As tentações são imensas. Ainda mais na época de hoje, que mal temos tempo para comer em casa. São fastfoods, lanches, congelados, tanto “lixo gastronômico” a solta no mercado, que acaba se tornando uma concorrência bem desleal. Mas você pode pergunta: E agora, Marcio? Como lidar com essas intempéries?

Como diz minha nutricionista, eu sou disciplinado, determinado e focado. Eu não diria, torne-se um Marcio. Não precisa tanto, mas você precisa, a priori, pensar o que realmente importa para você. Se é subir dois degraus e ficar ofegante, tirar uma foto e pedir ao colega que deixe você toda (o) trabalhada (o) no photoshop, andar 100m e sentir o coração palpitar, provar uma calça 46 e pensar: “uau, essa loja tem a forma beeeeem grande, né? Na loja vizinha eu provei uma 38”. Ehhh, só esqueceu de reconhecer que provou, mas a peça nem passou do joelho. Mas, enfim. Ou o que importa é ter qualidade de vida.

Ter qualidade de vida não é ser magro, marombado, 5% de gordura corporal. O estético é consequência da atividade física somada à alimentação adequada. Qualidade de vida é sentir-se bem. É poder se olhar e ser feliz com o que é refletido, é comer uma comida e sentir-se leve, saber que você estará ingerindo nutrientes que vão ajudar no melhor funcionamento do corpo, evitarão doenças, melhorarão teu humor, dar-te-ão disposição, deixarão tua pele e cabelo melhores e, o principal, elevarão sua auto-estima para mais alta que o Burj Khalifa:

Maior prédio do mundo, com mais de 800m de altura. Fica em Dubai e é cerca de 120m maior que o Corcovado, onde fica o Cristo, no Rio de Janeiro.

Eu afirmo, é possível sim. Tenho descoberto diversas opções de alimentação, combinações de nutrientes e ingredientes que têm revolucionado a minha vida. E sei que vai revolucionar a sua também. Pratos bem elaborados, extremamente saborosos e que não deixam a desejar a nada que o mercado do “lixo gastronômico” oferece. Aliados, claro, a uma prática esportiva. Receita de sucesso. Nos próximos posts vou trazer muitas coisas legais. Dicas, sugestões, receitas, indicações. TUDO que eu encontrar e ver que é bom e vale à pena divulgar para pessoas que estão determinadas a se alimentarem mais saudavelmente.

Topa o desafio? Então, estamos juntos nessa.

Para começar, posso sugerir uma dica simples e bastante eficiente?

Anos atrás quando eu comecei minha primeira dieta, eu li esse livro: Emagreça Comendo – Lair Ribeiro.

É muito bom! Ele é psicológico e mostra como você conter compulsão alimentar e reeducar sua alimentação, tendo controle sobre o que você leva à boca. Tudo pela neurolinguística. Calma, o termo assusta, mas a leitura é agradável e te faz refletir. Clica aqui e baixa o livro. JÁ!

Saudações e que nunca nos sobrem gorduras localizadas!